II – Serviço Público

– Eu queria fazer isso
– O senhor precisa fazer o agendamento por telefone
– Ah, eu liguei lá mas num…(silêncio mórbido)
– Não o que?
– e num.

Anúncios

Despertar

Jorge acordou. Manteve os olhos fechados por um instante, como sempre fazia ao acordar. Tentava lembrar seu último sonho. Lembrava de estar sonhando com o deserto. Não havia um sentido para o qual caminhar, pois não sabia onde queria chegar. Portanto, decidiu seguir a oeste usando como bússola o sol, que a esse momento começava a gerar uma sombra às suas costas.

Lembrou que tinha encontrado uma construção. Uma construção que salvou sua vida, pois uma tempestade de areia surgira. Foram lufadas de areia, uma após a outra, que faziam com que se sentisse desprotegido, ainda estando atrás daquela parede. Mas não era só uma parede, parecia uma caixa quando se via como a areia o cercava principalmente para um claustrofóbico como ele. Suas roupas pesadas que serviam para manter a noite do deserto quente, naquele momento fritavam seu corpo. Mas não era apenas no sonho, estava muito quente mesmo. Jorge abriu os olhos.

– Mas que merda é essa?

Continuar lendo